Menor preço garante economia para empresa?

A primeira informação que buscamos quando falamos em comprar algo é o preço do produto ou serviço. Para algumas empresas o quanto custa é determinante mas será que o menor preço garante economia para a empresa?

Quando falamos em medição temos a nossa disposição um universo de instrumentos independente se estamos falando de instrumentos de processo ou de instrumentos que serão utilizados como padrão e cada instrumento, claro, com suas características construtivas e obviamente metrológicas.

Vamos a dois exemplos.

1. Paquímetro.

Apesar de ser um instrumento relativamente simples temos diferentes gritantes com relação a qualidade do instrumento. A primeira está relacionado a espessura dos traços sendo este um fator determinante para a qualidade metrológica do instrumento por estarmos falando de uma divisão de 0,02 mm. Para termos uma noção da sensibilidade do instrumento, podemos pegar uma régua escolar e dividir em 5 (cinco) partes. Cada parte é a menor divisão que o paquímetro consegue medir.

Para que seja possível a efetivação da medição de forma correta o material utilizado também deve ser de uma liga especial uma vez que, este instrumento deverá sofre o mínimo possível com a dilatação em função da maior ou menor temperatura. Se o instrumento for sensível a dilatação certamente, teremos valores errôneos.

2. Fornos de bloco seco.

Os fornos de bloco seco são utilizados como meio térmico para calibração de termômetros (termoresistências, termopares, termômetros mecânicos, etc.). Para manter a temperatura estável o forno liga e desliga a resistência visando manter a temperatura configurada. Considerando que o tempo de respostas dos termômetros são diferentes significa que, se o forno não tiver ótima estabilidade térmica os termômetros estarão em tempos diferentes, ou seja, enquanto um termômetros está reagindo a um sinal térmico e outro poderá estar estável e com isso, poderemos estar medindo a temperatura em momentos diferentes relacionados a cada termômetro e isto sem contar com outros recursos para armazenamento e automação do processo de calibração que alguns modelos possuem.

Nestes dois exemplos mostramos como as características metrológicas poderá afetar diretamente a qualidade da medição principalmente se estivermos falando dos processos de calibração, ensaio ou amostragem e claro, quanto melhor as características metrológicas do instrumento e mais recursos para automação do processo de medição “mais caro” ele é.

Respondendo a pergunta inicial. Nem sempre o menor preço irá trazer economia para a empresa. As características metrológicas poderão influenciar na incerteza da medição e consequentemente no resultado assim como a automação do processo poderá tornar o processo de medição mais produtivos.

Isso também vale para os serviços de calibração. Vamos pensar na calibração dos calibradores passa-não-passa. Um dos métodos mais utilizados é a medição é utilizar um micrômetro e arames para determinação do diâmetro de flanco mas, será que somente o diâmetro de flanco é o suficiente para a calibração de calibradores passa-não-passa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
LinkedIn
Instagram
× Clique aqui e fale conosco